29 de mai de 2011

Reação.

Ele entrou no banco só pra pagar umas contas. Algumas contas que ainde eram daquele tempo em que ela morava lá. Ele já não tinha mais certeza que esse tempo existiu, pode ter sido imaginação, até um pesadelo daqueles que começavam com o time favorito ganhando campeonato e terminavam com ela indo embora. Todos os pesadelos terminavam com ela indo embora.
Já era quase sua vez na fila quando ouviu.
"NINGUÉM SE MEXE. NINGUÉM FAZ NADA. NINGUÉM SAI FERIDO"
"Isso não é verdade"
"O QUE QUE VOCÊ DISSE? TEM ALGUÉM QUERENDO BANCAR O HERÓI AQUI?"
"É que isso não é verdade. Ela vai embora justamente quando você não faz nada. Quando você não lutou, quando deixou levarem embora. Saí ileso todas as vezes que eu fugi. Foi quando eu fiquei parado vendo tudo acontecer que saí ferido. Mas eu disse pra mim mesmo que nunca mais ia ficar parado e deixar tomarem ela de mim de novo"
E com um salto quase felino foi parar a metros de distância, demonstrando uma agilidade surpreendente pra quem tinha passado as últimas semanas em estado de comatose desde que ela se foi. Era a primeira vez que reagia. Não estava mais disposto a ficar parado e ver seu amor ir embora. Foi embora e ele não fez nada pra impedir. Mas dessa vez não. Já de pé, recuperado do salto, encarou o assaltante e deu a entender que não desistiria. Agora não ia só ficar parado e assistindo as coisas acontecerem.
E tomou 2 tiros pra deixar de ser besta.

4 comentários:

  1. Mas pelo menos soube como era estar do outro lado, do lado q se mexe.
    =D

    ResponderExcluir
  2. Nua e crua,

    Como deve ser a vida.

    eu ri.

    ResponderExcluir
  3. Tô imprimindo esse texto e colando aqui na minha mesa, na minha frente, pra ler sempre. Sem bancar heroína, dessa vez...

    ResponderExcluir